Kev

O que o faz feliz? “Dialogar com o lado luminoso de cada um e partilhar um pouco da sua luz com os outros!”

A luz está definitivamente omnipresente na sua vida – nas mais diferentes perspectivas – e é uma das dezenas de coisas que o faz gostar tanto de Lisboa. Se tivesse de adicionar mais uma, seria, por certo, a rica arquitectura da cidade, responsável por manter o seu olhar de fotógrafo em constante despertar. Mas há muito mais: “o rio, a comida, a diversidade, os sítios para relaxar, o andar sempre a subir e a descer, a intimidade, os espaços abertos, a arte e a cultura. É uma cidade de constantes descobertas. Mas acima de tudo, as pessoas e os amigos!”

Trabalhar em sucessivos projectos (tanto no Reino Unido, como na China) com o bailarino e coreógrafo chinês Rong Tao, é um dos projectos que recorda com maior emoção. Teve a oportunidade de trabalhar com ele um sem número de vezes, através da dança e da fotografia. “Presenciar a sua alegria e a forma como usa a dança para mudar a vida das pessoas tem sido verdadeiramente extraordinário. Tem sido bom acompanhar o impacto do seu trabalho nas pessoas, nas organizações e nos meus próprios colegas”, partilha com emoção.

O Kev foi o primeiro amigo a ser convidado para participar nas ‘Faces de Lisboa‘. É a única pessoa – tirando a família chegada – a conhecer a pessoa por trás do projecto, antes de ser abordado. Por essa razão, é justo que se lhe peça para partilhar um segredo bem guardado da sua terra.

“Um acontecimento recorrente na minha memória é a fantástica história de Nicholas Alkamede, um habitante da minha cidade. Ele saltou de um bombardeiro Lancaster em chamas, durante a Segunda Guerra Mundial, de uma altura de 19,000 pés. Saltou sem o seu para-quedas, fugindo à morte certa, naquele mar de chamas. Miraculosamente, sobreviveu à queda! Actualmente, ainda poucas pessoas conhecem a história.”

What makes him happy? “Connecting with the sunshine inside and sharing that with others!”

The sunshine is definitely omnipresent in his life – at several different levels – and is one of the dozen things why he loves Lisbon so much. Other than that, it’s the rich architecture that keeps his photographer’s eye in constant awakening. But there’s a lot more to it: “inside and out, the river, food, diversity, places to relax, changing levels, intimacy, open spaces, art and culture, a city of constant discoveries, people and above all friends!”

Working with Chinese dancer and choreographer Rong Tao on successive projects/residencies in the UK and China is one of those projects he recalls with deep emotion. He had the opportunity to work with him a number of times, through dance and photography. “Witnessing the joy and life changing possibilities of his approach to dance has been remarkable. It’s been great to see the impact on other people, organisations and my own colleagues”, he shares with his bright eyes.

Kev was the first friend invited to the Faces of Lisbon. He is then the only person – besides the close family – to know who is behind the project before being approached. For that reason, it was fair enough to ask him to share a secret from his hometown.

“A story that keeps coming back to me is the remarkable story of Nicholas Alkamede from my town. He jumped from a burning Lancaster bomber during WWII from a height of 19,000 feet without his parachute rather than burn to death. Miraculously he survived the fall! Not so many people know the story still.”