João

A música é algo muito importante na sua vida. Gosta de ir a concertos e de dar concertos. É baterista na banda Treehouses, de inspiração indie-rock, algo difícil de definir entre os Dinossaur Jr e os Smiths. No próximo dia 27 de Junho vai haver concerto no Bartô. Apareçam!

Lisboa é muito diferente da sua terra. É uma cidade maior, com uma diversidade cultural incrível, um sítio onde conhece muita gente e onde nunca se sente só. É também onde faz grande parte das coisas que gosta, onde estuda e onde encontra a maior parte dos seus amigos. É a cidade onde gosta de estar.

Pergunto-lhe o que faria se fosse o líder do mundo durante uma semana. A sua resposta é precedida de um largo sorriso, pois é algo que não se sente à vontade em ser. No seu universo perfeito, os líderes não são as pessoas com mais importância ou poder. Mas, se tivesse mesmo de tomar as rédeas do mundo, iria concentrar-se em derrubar todas as barreiras necessárias para que as pessoas pudessem concretizar os seus sonhos. Iria acabar com toda a papelada e burocracia que torna tão difícil as pessoas porem em prática os seus projectos. E como é que ia colocar tudo isto em prática? “Ia ser mesmo muito custoso. Teria de estudar todas as leis, de todos os países e ver o que está certo e errado”. Mas este certo e errado seria sempre o seu certo e errado e isso também considera não ser muito correcto. Seria mesmo uma tarefa hercúlea!

“Estar livre de stress, relaxado… sentir que amanhã também vou conseguir estar feliz”, é isto que o faz sorrir. Gosta de sentir que não precisa de se preocupar com o que vai acontecer para a semana, para o mês que vem ou o que o espera daqui a 30 anos.

A nossa conversa termina com música, como não poderia deixar de ser. À pergunta mais ingrata que se pode fazer, a alguém que ama realmente a música, responde, depois de ‘moer’ por uns momentos: “O que levaria na viagem final para a Lua? A discografia completa dos The Smiths“.