Carlos

Uma coisa que o deixa verdadeiramente zangado com a vida e as pessoas? A preguiça.

Com o seu sotaque castelhano, não esconde as suas origens no país vizinho. Apaixonado por Lisboa, adora passear por entre a arquitectura da capital quando iluminada pelo sol único que torna a luz desta cidade tão especial.

Gostava que as farmacêuticas não fossem máquinas de gerar lucro. Considera que haveria um mundo melhor se estas não fossem empresas privadas. O mesmo pensa em relação a todas as fontes de energia. Por isso mesmo, se mandasse no mundo por um dia, democratizava o acesso à energia e aos medicamentos em prol de um bem comum.